Diários de Uma Feminista. Tecnologia do Blogger.

Miga, chamar uma mulher de puta (em tom pejorativo) é cuspir no espelho.



Miga, chamar uma mulher de puta (em tom pejorativo) é cuspir no espelho. 

Sustentar o significado machista dado a palavra puta para envergonhar, humilhar e culpabilizar a mulher é dá tiro no próprio pé, pois numa sociedade machista, não importa o que a gente faça, nós sempre seremos ~~putas~~. 

Somos putas quando transamos e somos putas também quando não transamos. Somos putas quando nos vestimos de forma considerada sensual/vulgar e dizemos não a um homem. Somos putas quando nos vestimos de forma "contida" e dizemos não a um homem. Somos putas quando desrespeitam nosso não e nos abusam. Somos putas e culpadas. Somos putas de batom vermelho. Somos putas de salto. Somos putas bebendo. Somos putas na balada. Somos putas na igreja por ''nos fazermos de santinhas''. Somos putas se transamos quando queremos, se queremos e com quem nós queremos. Somos putas quando não transamos (''as putas puritanas" dizem os machos). Somos putas quando dizemos não aos nossos chefes/empregadores. Somos putas quando dizemos sim a nossos chefes/empregadores. Somos putas quando engravidamos antes de casarmos. Somos putas se o pai da criança não assume a paternidade. Somos putas se abortamos. Somos putas se tivermos o bebê. Somos putas toda vez que escolhemos ser o que somos. 

Somos putas também todas as vezes que nossas escolhas ferem o patriarcado. 

Feminista tudo puta.
Inclusive, eu amo/sou.

Lizandra Souza.

0 comentários:

Postar um comentário

Feminismo é a ideia radical de que mulheres são gente!