Diários de Uma Feminista. Tecnologia do Blogger.

Adultério masculino e a culpabilização feminina


Olá, meninas! Na aula de hoje aprenderemos que se seu companheiro lhe trair ele fez isso porque quis, porque não segurou o pinto e não respeitou a relação de vocês, a outra mulher pode ser uma "Rubi da vida real'' e jogar a buceta na cara do seu macho, se ele respeitar você, ele vai mandar qualquer outra ir à merda e se foder legal, mas longe dele. Haverá traição se ELE permitir, a culpa pela traição é dele e a responsabilidade por (não) trair você também é dele. VAI PARTIR DO SEU MACHO LHE TRAIR OU NÃO! Adultério não é sobre o caráter da outra mulher, é sobre o do seu macho. Parem de fantasiar as novelas mexicanas com suas vilãs poderosas e irresistíveis que seduzem o pobre macho infiel e vagabundo e vivam a vida real em que machos enganam suas companheiras e também as próprias mulheres com quem eles traem-nas. 

Rivalidade feminina faz com que as mulheres não só disputem por machos escrotos, mas também façam papel de trouxa por causa deles. O macho trai a companheira, ela: 

a. ( ) discute com ele, manda-o à merda, termina a relação e apesar da ''sofrência'' sabe que merece coisa melhor que um babaca que não a respeitou nem valorizou a relação dos dois.

b.(x) discute com a mulher que o macho estava se relacionando, a agride, filma a agressão e posta na internet, faz da vida dela um inferno e CONTINUA COM O MACHO para ser traída de novo com qualquer outra que o macho conseguir... pois deixa eu falar um fato que aprendi com os bodes bodadores: quem trai uma vez tem todo potencial de trair de novo e de novo e de novo porque o problema não está COM QUEM ele traiu a parceira, mas em QUEM TRAI. A problemática do adultério não está se a ''outra'' sabia ou não do comprometimento do homem e/ou se ELA DEU EM CIMA DELE, mas no homem que SABIA que era comprometido e que devia respeito a sua companheira e mesmo assim decidiu traí-la.

Tem mulher que morre, mas que não admite que a culpa pelo companheiro escroto dela ter a traído não é da amante dele, mas DELE. Quem traí é quem tem o compromisso e a responsabilidade de ser fiel numa relação fechada. Vida real não é igual as novelas mexicanas em que a "outra" é uma mulher irresistível considerada "bruxa" que usa "poderes" para enfeitiçar o pobre macho que, hipnotizado, cai nas garras da mulher destinada a destruir a relação da ''rival''. Longe dos exemplos das novelas que tratam adultério de forma sexista, o macho só trai SE ELE quiser. Não tem essa de que não conseguiu segurar o pinto ou de que o instinto é maior. Sentir atração por outra mulher é diferente de praticar o que é impulsionado por tal atração. E longe desses casos de personagens-mulheres padrões de novela, quem se submete a ser a outra, muitas vezes, são as preteridas socialmente, tão preteridas que preferem ser as outras a serem ''ninguém''. Também estão sujeitas a sofrerem com relacionamento abusivo, o próprio fato de serem, muitas vezes, ludibriadas, enganadas pelo machos comprometidos monstra isso. 

Não tem essa de questionar honestidade, respeito, caráter da outra mulher fazendo isso culpando-a pela bosta do seu macho. Questione honestidade, respeito, caráter dele, pois é ele quem devia ter isso com você. "E a sororidade?". Essa não é a questão, pois nenhuma falta de sororidade no mundo impulsiona macho a trair a companheira, ele não trai pela falta de empatia da outra mulher/amante, ele trai porque quer. Não estou incentivando as mulheres solteiras a saírem com caras comprometidos sem se importarem com a outra mulher enganada. Muito menos, que as mulheres enganadas virem melhores amigas das mulheres com que seus parceiros traidores se relacionaram concomitantemente, como se isso fosse fácil e uma dever da mulher empoderada e desconstruída com saúde psicológica perfeita. Acho que toda mulher devia ter consciência de que merece mais que uma relação abusiva, escondida, com um macho meio bosta, meio cocô de pombo que afirma sua masculinidade se relacionando com várias mulheres ao mesmo tempo as custas de mentiras, enganações e abusos psicológicos. Não demonizar a outra mulher, não persegui-la ou culpabilizá-la não quer dizer se tornar melhor amiga dela, mas ter consciência de que se não fosse com ela, ele trairia você com outra, pois o adultério, reitero, só acontece por conta de quem tem um relacionamento e escolhe desrespeitá-lo. 


Lizandra Souza.

1 comentários:

  1. Muito bom seus textos, Lizandra. Eu gostaria de compartilhar no Facebook , mas não encontrei essa opção.

    ResponderExcluir

Feminismo é a ideia radical de que mulheres são gente!