Diários de Uma Feminista. Tecnologia do Blogger.

Por que é problemático assumir que um Homem/cisgênero pode ser feminista?



Dizer que o homem/cis não pode ser feminista é o mesmo que mandá-lo se foder?
É o mesmo que exclui-lo da causa? Estamos querendo a morte deles na guerra?

N-Ã-O.

Me poupem.
Se poupem.
Nos poupem.



Dizer que o Homem cisgênero não pode ser feminista NÃO é oprimi-lo/segregá-lo, mas sim impor para ele um lugar de propriedade de FALA e VIVÊNCIA que ele NÃO possui DENTRO do movimento.

Não possui porque ele é privilegiado historicamente na cultura patriarcal sexista machista e misógina. Assim, enquanto homem cis, ele não possui propriedade para protagonizar um movimento que luta contra um sistema que o privilegia enquanto homem-cis porque ele está numa situação de poder na opressão de gênero.

Mas, então, o que faz um homem/cis que supostamente tem empatia pelo feminismo? 

Ora, ele pode ser PRÓ-feminista. O prefixo "pró" já indica apoio.

Apoiar uma luta é diferente de silenciar as/es/os protagonistas dessa luta.

Protagonista é quem tem VIVÊNCIA daquilo, isto é, quem sofre com a opressão e tem propriedade de fala preferencial, não quem se auto-intitula o "bonzão da história".

Negar o protagonismo da pessoa oprimida é dar voz (e mais poder) ao seu opressor. Se a pessoa oprimida não tiver o direito de ter o direito a própria voz e respeito de vivência em seu movimento de luta, onde mais ela terá? 

O homem/cis, de forma geral, está tão acomodado com seus privilégios de gênero que ele quer impor um lugar de fala/protagonismo até em um movimento - Feminismo - que luta contra um sistema opressor do qual ele é privilegiado e ocupa uma posição de poder.

Assim sendo, em vez de ficar chorando na internet e agredindo verbalmente feministas, o homem/cis que SUPOSTAMENTE sente empatia pelo feminismo a ponto de querer a todo custo ser chamado de feminista ou ter a liderança - protagonismo - do movimento, deveria deixar de mimimi silenciador e usar do espaço social que ele já lidera culturalmente e ajudar a transformar esses espaços em lugares receptivos e empáticos para as ideias e práticas feministas.

O lugar dele no feminismo (militância/protagonismo) é fora.
Sim: FO-RA.

O papel dele tem que ser se desconstruindo e promovendo a desconstrução dos amigos em quaisquer ambientes sociais. E não dando pitaco dentro da nossa luta.



Reclamar protagonismo silenciador os feministOs querem.
Chorar por querer ter mais voz - cagar regra - num movimento que luta contra uma opressão que os privilegiam, os feministOs querem.
Definir e/ou impor questões relativas a pautas e/ou militância para as pessoas oprimidas sobre a opressão que eles enquanto homens cis não vivenciam por estarem numa posição de poder na opressão (de gênero), os feministOs querem.
Mas usar do espaço e voz que eles JÁ TÊM para tornar a sociedade mais receptiva ao feminismo, ai ai ai, aí já é vandalismo.



"MAS somos todos humanos e iguais, por que não termos a mesma voz dentro dos movimentos sociais...?"

Somos todos humanos e iguais na hora de ganhar o mesmo salário para fazer a mesma tarefa com a mesma carga horária de trabalho e qualificação profissional?

Somos todos humanos e iguais quando nos rejeitam a determinados cargos por causa do nosso gênero e/ou cor/raça?

Somos todos humanos e iguais andando na rua à noite?

Somos todos humanos e iguais quando vestimos uma roupa curta? E não nos punem com assédio ou estupros?

Somos todos humanos e iguais quando usamos a nossa liberdade sexual?

Somos todos humanos e iguais quando precisamos lutar por direitos que maiorias privilegiadas já têm?

Somos todos humanos e iguais quando decidimos que não queremos ter filhes?

Somos todos humanos e iguais para a PM?

Somos todos humanos e iguais para a sociedade que historicamente privilegia brancos simplesmente por serem brancos?

Somos todos humanos e iguais para a sociedade que historicamente privilegia homens/cis simplesmente por serem homens/cis?

Não, logo cada movimento deve ser pautado/liderado por quem realmente tem propriedade e vivência de oprimida/oprimide/oprimido e não por quem ocupa um lugar de poder na opressão.

1 comentários:

  1. Tá precisando de um macho pra te endireitar hein menina?

    ResponderExcluir

Feminismo é a ideia radical de que mulheres são gente!